A Seca na Paraíba

Esse é o açude onde estamos pegando água para os serviços diários da casa e também para cozinhar e tomar banho. Ele fica a 6 Km da nossa casa. Graças a Deus podemos comprar água potável para beber mas a maior parte da população, principalmente dos sítios bebe do açude que não dá garantia de pureza e também de barreiros ou poços nada convencionais correndo o risco de contraírem várias doenças.

“Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR! Porque será como a tamargueira no deserto, e não verá quando vem o bem; antes morará nos lugares secos do deserto, na terra salgada e inabitável. “

Jeremias 17.5,6

É impossível não ler Jeremias 17 e não fazer uma analogia com o que ocorre no sertão nordestino. De fato, o sertanejo confia no homem como seu socorro. Quando não é sob falsa esperança política é uma confiança espiritual nos homens: São Pedro, São Paulo e como no caso de Amparo, São Sebastião. E quase que repetindo a época de Jeremias, realmente o povo que assim se comporta, habita em terra seca (deserta) e salgada. A região desse cariri e sertão é lotada de salinas que 

tornam até mesmo a água dos poucos poços salgada e imprópria para o consumo. Até nas paredes das casas pode-se verificar o sal que brota. Oremos para que o povo que sofre tenha entendimento e passe a confiar no Senhor. Jader Medeiros

 

Estive visitando dois açudes aqui da região e a situação é preocupante. Na foto acima Samuel e eu estamos sentados onde antes era possível nadar. Esse é o açude onde nós estamos pegando água para os serviços diários da casa e também para cozinhar e tomar banho. Ele fica a 6 Km da nossa casa. Graças a Deus podemos comprar água potável para beber mas a maior parte da população dos sítios bebe do açude e também de barreiros correndo o risco de contraírem várias doenças. A temperatura também incomoda bastante. A seca que é considerada a maior dos últimos 30 anos, se prolonga e ameaça o abastecimento de água para consumo humano em dezenas de municípios do interior da Paraíba. Pelo menos 18 deles estão sob o risco de um colapso total no abastecimento e já enfrentam a falta intermitente d’água. Até mesmo o batismo que eu estava planejando realizar aqui terei de fazer na Igreja Batista de Monteiro pois em época de seca é proibido a entrada de pessoas no açude.

Ao lado uma imagem cada vez mais comum aqui pela estrada que dá acesso à Amparo – PB.
Os açudes estão muito secos e a água é para consumo. Conversando com alguns moradores eles nos disseram que se não houver mudança até o fim do ano o açude corre o risco de secar completamente. é triste ver que muitos moradores aqui andam mais de 10 Km a pé para levar uma lata d’água barrenta e salobra na cabeça.
Em Triunfo (no Alto Sertão paraibano, a 590 quilômetros de João Pessoa), o único manancial que abastecia a cidade secou completamente. Carros pipas da Defesa Civil estão socorrendo a população da zona urbana. Na região do Cariri, também já falta água cidades de Alcantil, Santa Cecília de Umbuzeiro, Riacho de Santo Antônio, Barra de São Miguel e Umbuzeiro. Em duas comunidades rurais – Cachoeirinha e Braga (em Campo de Santana, na região do Cariri) – a água só chega às torneiras uma vez por semana, na quarta-feira. 
Na cidade de Cabaceiras falta água há um mês.  O município, que ficou famoso no país por servir de cenário para o filme o ‘Auto da Compadecida’. O sertanejo e o caririzeiro acreditam que a situação seja amenizada com a chegada das águas da transposição do São Francisco. No entanto, as obras se encontram paradas em dois trechos dos eixos que desembocam no interior paraibano.

O QUE VOCÊ PODE FAZER?

Estamos em campanha para comprar cargas de Carros Pipas. Cada carro está para nós por R$ 70,00. Também é possível doar garrafões de água potável (água desalinizada). Cada garrafão custa R$ 4,00. Doações podem ser feitas em nossa conta disponível aqui. Entre em contato e informe-se: (83) 9905 5678 tim ou pelo E-mail: ministerio@conexaoide.com.br

Comentários